Pelos Caminhos da Missão

Pelos Caminhos da Missão

“Eis-me aqui, envia-me!” (Is 6,8)

Estamos a viver um ano atípico. A pandemia do Covid 19, atemoriza, causa danos à saúde, à economia, e à convivência social. Vemos cair por terra todos os programas ou estratégias pastorais já assumidas há muito tempo.

Evoca-se, aqui e ali, o ingresso numa “nova normalidade”, que ninguém sabe muito bem o que significa. Mas, como muito bem dizia o Dr. Juan Ambrosio, no Ciclo de Conferências Missionárias online, promovido pelos ANIMAG (23/10/ 2020 - 4ª CONFERÊNCIA MISSIONÁRIA: «A FALTA QUE UM ROSTO FAZ...DESMASCARAR A MISSÃO»), mais do que uma “nova normalidade”, devemos “procurar um Mundo Novo com sabor a Evangelho”.

Surge, assim, oportuno, o apelo do Papa Francisco à “conversão missionária”, a uma “Igreja em saída” (Mensagem para o Dia Mundial da Missões 2020), disponível para proporcionar o encontro do rosto de Cristo com tantos rostos desfigurados pelo abandono, pela pobreza ou pela ausência de uma esperança duradoura, que só Cristo pode dar.

Neste contexto, a pergunta de Deus – “quem enviarei?” –, que encontra resposta decidida no profeta Isaías – “Eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8) – e que serve de mote para a vivência deste ano missionário, ecoa e interpela-nos também hoje.

Felizmente encontramos rostos missionários, vidas disponíveis, para abraçar com ardor este convite e testemunhar a Boa Nova de Jesus. Ao longo do mês de Outubro, e um pouco por todo o país, os nossos auxiliares, colaboradores e grupos missionários paroquias, em conjunto com a Equipa de Animação Missionária, desafiaram a tentação de parar tudo e desenvolveram algumas actividades de animação missionária nas suas comunidades, despertando a urgência sempre permanente de estarmos todos em Missão. Parabéns a todos!

Nas que podemos participar, mais concretamente na Vigararia de Oliveira de Azeméis/S. João da Madeira, aqui ficam alguns, testemunhos, apontamentos e fotos:

- Paróquia de S. Roque: “apresentamos a oração missionária e o guião missionário, incentivando à aquisição e utilização dos mesmos. Demos também a conhecer que o IMAG iria oferecer um ciclo de palestras online e que estas iriam ser retransmitidas no Facebook da paróquia. Também durante o mês, utilizamos o guião para as orações do terço comunitárias. Encerramos o mês com a oração do terço e eucaristia, orientada pelo grupo de adolescentes e jovens e animada pelo Corado (coro de adolescentes e jovens), grupos dos quais fazemos parte. Aproveito para dizer que três dos nossos elementos do Corado formaram o grupo Anima VIRTUS, sendo ambos grupos missionários, ligados à música e com um enorme espírito de missão. Diz-se que cantar é rezar duas vezes e é com esse espírito que o fazemos”. (Cláudia Silva)

- S. Martinho da Gândara: “… em São Martinho, o espírito missionário falou mais alto e sentimos necessidade de agir... Durante o mês de Outubro Missionário, o Grupo Paroquial Missionário, juntamente com o Grupo de Infância e Juventude Missionária de São Martinho da Gândara, ‘Sementes da Missão’, propuseram um conjunto de iniciativas a que a paróquia teve oportunidade de aderir. Destacamos a realização da Vigília Missionária, a oração do terço missionário, as reflexões e orações missionárias incluídas nas Eucaristias Dominicais e o incentivo à oração missionária em família e à partilha de fotografias e experiências na página de facebook da paróquia. Em cada atividade, sentimos crescer o espírito missionário na paróquia, dos mais novos aos mais velhos, dos mais corajosos aos mais amedrontados. Era impossível ficar indiferente à força das cores missionárias…”

- Paróquia de S. João da Madeira: a paróquia de S. João da Madeira, como vem sendo habitual, fez questão de mostrar todo o seu vigor missionário. O grupo missionário paroquial organizou a distribuição do guião missionário que conduziu as actividades durante todo o mês, nas actividades da paróquia e na família. Em cada Eucaristia da comunidade incluiu-se a intenção missionária, rezou-se diariamente o terço missionário, com as suas reflexões próprias e celebrou a Vigília Missionária, ponto alto da celebração do mês. Para a preparação e celebração da Vigília, integrada na Eucaristia da comunidade, destacamos o empenho do grupo missionário, mas também do grupo de jovens que, além da colaboração na preparação, também animou com a beleza da música. Durante a Vigília, que contou com a presença do P. Amaro, P. Alvaro (pároco) e do seminarista estagiário, Luis, pudemos ouvir o testemunho missionário da Diana Salgado (coordenadora do Leigos Boa Nova), que falou sobre a sua vocação missionária e sobre os anos que passou como missionária no Brasil, Moçambique e agora no Lar de Santa Teresinha.

- Oliveira de Azeméis: também nesta paróquia destacamos a presença de um novo Grupo Missionário Paroquial que está a dar os primeiros passos, mas que acalenta o sonho de dar um impulso mais missionário às diversas actividades paroquiais. Por isso, além das actividades normais a serem dinamizados ao longo do mês, propostas pelo guião missionário, o grupo preparou uma bela Vigília que contou com a presença do P. Amaro e do seminarista estagiário, Pedro Chey, além do pároco, P. José Manuel. Embora o mote seja sempre a missão Ad Gentes, o tema principal da Vigília foi a missão ad intra. Uma paróquia disponível para enviar em missão, antes de mais deve criar sementes de ardor missionário dentro de si mesma. Assim, a Vigília foi um forte apelo ao compromisso com a missão nas diversas actividades e iniciativas paroquiais: desde a catequese, passando pela liturgia e pela caridade.

 

 

Quarta, 11 de Novembro de 2020