http://missionarios.boanova.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/768238Mo__ambique.jpglink
http://missionarios.boanova.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/399617_sMo__ambique1.jpglink
http://missionarios.boanova.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/812008_sAngola1.jpglink
http://missionarios.boanova.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/867587_sAngola2.jpglink
http://missionarios.boanova.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/395244_sAngola3.jpglink
http://missionarios.boanova.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/996574_sAngola5.jpglink
http://missionarios.boanova.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/744963_sJap__o3.jpglink
http://missionarios.boanova.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/749718_sJap__o4.jpglink
http://missionarios.boanova.pt/components/com_gk3_photoslide/thumbs_big/121613_sJap__o7.jpglink
Mocambique1 Angola Angola2 Angola Angola4 Japao1 Japao2 Japao3
Assembleia Regional de Moçambique

Mensagem Final da Assembleia Regional de Moçambique da Sociedade Missionária da Boa Nova (SMBN)

Nós, Missionários da Boa Nova, da Região de Moçambique, reunidos em Assembleia Regional, no Seminário da Boa Nova na Matola (Maputo), entre os dias 5 e 9 de Novembro de 2018, agradecemos a Deus e saudamos-vos, em Cristo, queridos irmãos na missão. Tivemos a graça de ter connosco o nosso Superior Geral, P. Adelino Ascenso, que, para nosso júbilo, chegou acompanhado dos diáconos Jaime Mathe e Alfredo Tumbo, naturais de Moçambique e membros desta Região Missionária, que estão designados para a Região de Angola.

 

Irmãos, não tenhamos medo da nossa pequenez e fragilidade, porque com ela o Senhor pode fazer muito. Há 81 anos (1937), nesta mesma Região, poucos, movidos unicamente pela caridade de Cristo, iniciaram, em Messano (sul de Moçambique) e Unango (extremo noroeste de Moçambique), esta obra que ainda hoje permanece. Com este pequeno grão de mostarda lançado à terra, começou a materializar-se o sonho de grandes bispos missionários como D. António Barroso, D. Teotónio Vieira de Castro e D. João Evangelista de Lima Vidal. O Evangelho, dado juntamente com a vida dos nossos antecessores, foi fazendo florescer inúmeras comunidades cristãs, ministérios e Igrejas Locais vivas e servidas pelos seus próprios ministros.

Queremos continuar a sonhar juntos este sonho de Deus, que com eles começou a ser realidade. Para tal, nestes dias, debruçámo-nos sobre os principais assuntos rezados, reflectidos e propostos pela nossa XIII Assembleia Geral. Como criar mais comunhão entre nós, combater a dispersão e congregar forças? Só unidos poderemos enfrentar os desafios actuais. Quais as periferias extremas que mais requerem a nossa presença? Ecumenismo e diálogo inter-religioso, especialmente com o Islão? Sentimos que, apesar da nossa pequenez, há muito por fazer e que o melhor vinho está por servir (cf. Jo 2,10).

A messe é grande e os operários são poucos (Lc 10,2). Queremos investir na formação de novos missionários inflamados “com o ardor e a paixão pela Missão de Jesus” que continuem a evangelização em Moçambique e sejam os enviados desta Igreja Local nos quatro cantos do mundo. Animados pois, por esta esperança, caríssimos irmãos, juntamente com Maria, Senhora da Boa Nova, desejamos ir por todo o mundo e anunciar o Evangelho a toda a criatura (cf. Mc 16, 15).

 

Os membros da Assembleia Regional de Moçambique da SMBN

Seminário da Boa Nova, Matola, 9 de Novembro de 2018

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 14

Exposição missionária: «Pelos caminhos do mundo»

«Pelos caminhos do mundo» é o título da exposição missionária que há de percorrer diferentes zonas do país.

Vai ser inaugurada a 29 de setembro, pelas 11 horas, na Escola Francisco de Holanda, em Guimarães. Ali permanecerá durante 15 dias.

 

Igreja e Missão 238

Igreja e Missão 238
Maio - Agosto 2018
Editorial

A missão no coração do povo não é uma parte da minha vida, ou um ornamento que posso pôr de lado; não é um apêndice ou um momento entre tantos outros da minha vida. É algo que não posso arrancar do meu ser, se não me quero destruir. Eu sou uma missão nesta terra, e para isso estou neste mundo. É preciso considerarmo-nos como que marcados a fogo por esta missão de iluminar, abençoar, vivificar, levantar, curar, libertar. (EG, 273).

1. Tenho recorrido com alguma frequência a estas palavras do Papa Francisco na sua exortação apostólica Evangelii Gaudium. Nós, humanos, somos, pois, uma missão sublime, mas há nódoas negras que podem agredir o interior do corpo, espalhando-se como manchas de óleo e matando o divino em nós. A Igreja – na sua peregrinação pela história – tem passado por vigorosos vendavais, mas tem permanecido de pé graças a figuras que animam e acalentam, que transmitem pontos de luz e apelam à mudança e à renovação, pois sabemos que estagnar é retroceder.

 

 

 
 
 
 
Share